Homem sem pernas e braços uniu dois continentes a nado

Publicado Por: Sónia Serol - 19• Ago•2012

Um francês sem braços e sem pernas uniu, sexta-feira, os continentes americano e asiático ao nadar entre a ilha Pequena Diomede, no Alasca, e a proximidade da Grande Diomede, na Rússia, no gelado estreio de Bering.

Philippe Croizon, de 44 anos, é quadruplamente amputado. Não tem braços nem pernas, e usa barbatanas na parte inferior do corpo para nadar mais rápido.

Acompanhado pelo nadador de longa distância Arnaud Chassery, 36 anos, Croizon cumpriu, no gelado estreito de Bering, a quarta etapa do desafio intercontinental “Nadar pelas fronteiras”, destinado a promover a “igualdade e a fraternidade entre todos os homens, com ou sem deficiência”.

Philippe Croizon nadou os quatro quilómetros entre a ilha de Pequena Diomede, no Alasca, EUA, continente americano, e as águas territoriais russas, ao largo da ilha da Pequena Diomede, já no continente asiático.

Inicialmente, o objetivo era unir as duas ilhas, num total de seis quilómetros. Mas, após várias semanas à espera de autorização dos russos, Croizon e Chassery optaram por nadar apenas até ao início das águas territoriais russas, em pleno estreito de Bering, entrando algumas centenas de metros em águas da Rússia.

“Foi a natação mais difícil que fiz na minha vida, numa água a 4º celsius de temperatura e com correntes muito fortes”, disse, bastante emocionado, Philippe Croizon, em declarações à AFP. “Estou muito feliz por todas as pessoas com deficiência que depositaram esperanças em mim”, acrescentou.

 

Fonte: jn

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *